domingo, 15 de junho de 2014


Mark Abrahams








a trama do desejo
enrosca-se em (a)pelos.

Karinne Santiago.


Christian Schlóe








a saudade
se abriga numa casa
sem paredes.

Karinne Santiago.

PROSA MIÚDA


 (para Edilberto Djuba Pires)




Christian Schlóe

Lufar as velas
Que o coração rema
Contra o vento.

Karinne Santiago

Para todo sentimento, meu cansaço.

Christian Schlóe




Seu riso ensinou-me a desconfiar das flores
Não é puro o olhar com o qual me fitas
É o resquício furtivo da mentira

Bem claro sorriso do qual se utiliza
Não miras ao presente
E do passado cria pontes

Sei das lutas onde finca bandeira
E destas e tantas que conheço
Já não admiro.

Karinne Santiago.