quarta-feira, 5 de março de 2014

Na Rua Do Perdão



a rua do perdão
na república
espreme o povo
entre anedotas de marchinhas

agitam-se pelo circo
e o pão dos pobres
nem soa seus sinos

corre mais acima
que de belas não tem nada

corre mais abaixo
que a redenção logo em salto
anuncia

a plasticidade do desejo
é o riso por trás da máscara
(ou o choro)

sabe o pierrô
cortejar o desencanto
apesar da banda em coro.

Karinne Santiago


Sally Trueman


a pele balbucia carícias
e as palavras devoram-nos
salivando os poros.

Karinne Santiago