quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Ancora-me o desejo


Mira Nedyalkova



Quero que sua boca desminta
a limosidade depositada por lagos rasos

Que tua língua com herança dos navegantes
lance-me tempestades e tormentas

Até que reste sobre meu corpo a salinidade de tuas águas.

Karinne Santiago


Precisava de um coração lusitano para conVersar tão lindamente com esta poesia. E meu poeta mais que querido me deu este presente:




CONTOS LARGOS, CONTOS VELHOS

Até que reste sobre teu corpo, das minhas águas a salinidade
sem que minha boca desminta dos lagos rasos a luminosidade
ficarás sempre ancorada no desejo
porque a minha língua tem em si a herança dos navegantes
quando te lança em tormentas e tempestades semelhantes
e no fervor e na emoção de longo beijo

São contos largos, contos velhos e tão vividos
de sentimentos tão intensos e sempre cumpridos
que reflectem tantos dos nossos momentos de glória
aqueles em que se perde e se acha a poesia
mesmo trazendo em si, a verdade ou a fantasia
mas que desta forma linda, nos não saem da memória

Joaquim Vale Cruz



OBRIGADA!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!