segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

nunca dantes navegada VII

Claude Monet


Somos água
Uma fonte arde-me

É o seu dorso
Curvando-me a sede

 Em longas torrentes
Do seu colo ao meu.


Karinne Santiago

4 comentários:

  1. E eu mergulho nessa poesia que é só sua...

    Muito lindo!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Lianeide! É uma série bem especial. Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  3. Me mergulho no romance. Mergulho para buscar esse tesouro.
    Esse romance...

    ResponderExcluir
  4. 2-D, espero que permaneça submerso em poesia...

    ResponderExcluir

Vamos poeticar?!