segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

solidão suspensa

Edward Hopper


Diga-me algo sobre este olhar. Qualquer palavra que sepulte o silêncio.
Reveste-me com suas falas. E entre uma ou outra lembrança que se desenlace certa saudade.
Deixe que me pese como um sopro.  Daqueles quentes como dos dias que partimos.
Deixe que me pese como cansaço. Tal qual a mão que pende ao errar o colo.

Karinne Santiago.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!