sábado, 30 de novembro de 2013

Minha doce ventania

  Para Vinícius Santiago, meu amor 

Klimt



nasce ventania
logo meu peito oscila
entre um riso
e outro

cresce ventania
rápido se aninha
entre um braço
e outro

persiste ventania
breve novos ares
entre um olhar
e outro.

Karinne Santiago.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

quando o não dito é riso




Chagall

era o contorno da sua risada
que me inquietava

era o risco no ar
daquele hálito

era inconcluso o dito
por entre dentes e lábios

era o esboço do desejo
onde gargalhávamos.


Karinne Santiago. 

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

nunca dantes navegada - IV

Jill Saitta


I

nada desafoga meu olhar
estou como o sol se pondo no mar

II

a lua clareia
cintila espuma
o mar ilude profundidades.


Karinne Santiago. 

Teus olhos, esse nosso olhar...

Para Davi, meu anjo




teimou em ser anjo
assim renunciou
em qualquer canto
asas me confortam.

Karinne Santiago




Teus Olhos, Marcelo Camelo




terça-feira, 26 de novembro de 2013

Ensaio sobre a Primavera III

Parque da Redenção, Karinne Santiago.



desliza o tempo
à margem da sombra

ou

desliza o tempo
a margem assombra?


Karinne Santiago








Ensaio sobre a Primavera II


Parque da Redenção, Karinne Santiago


braço de árvore
desvia ventania

rendo-me
envergando raiz.

Karinne Santiago.


Ensaio sobre a Primavera


Parque da Redenção, Karinne Santiago




pé ante pé
a estrada
versa caminhos.


Karinne Santiago