sexta-feira, 15 de novembro de 2013


Cristian Schloé


Deixou-me para revisitar o passado. Silencioso, nostálgico e vazio.
Tolo equívoco, opção ou sina. Do que preciso ao que pode ofertar-me?
Um gosto antigo das bocas que beijou. O corpo amarrotado pelos abraços anteriores...
Não os meus, os nossos.  Estes são anedotas e abrigos para solidão. O futuro não tem bússola.




Karinne Santiago

última resistência


Não sei se quero descansar, por estar realmente cansada ou se quero descansar para desistir.


Clarice Lispector


Cristian Schloe


Não estou em seu riso, afago ou saudade. Sou paisagem.
Aquela que além do horizonte não enxerga. Moldura vazia.
Sobrevivo em sua cegueira com os braços estirados por afeto.

Sinto os dois vãos principiando abismos. Ampulheta.
A areia é o tempo ou minha presença. Esvaindo-nos.
Sua lira oferece breve despedida. Logo parto.



Karinne Santiago

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

nunca dantes navegada- II

Jill Saitta

I

toda água é confidência
dor 
ou prazer

depois finda
rarefeita

II

pisca-me distância
astro artificial

clarão soberbo
mas seus olhos são cegos



Karinne Santiago