sábado, 7 de dezembro de 2013

todo desejo é fome (ou gula)


" Ama-me. Embora eu te pareça
Demasiado intensa. E de aspereza.
E transitória se tu me repensas" .

Hilda Hilst.


não encontrado


Alimentava os dedos com seus espasmos. Cinco bocas.
Línguas perdiam-se entre tantas fomes. Nossos pratos.
Servidos como desejos rasos. Explícitos corpos.


A mesa posta sem resistência. Dava ao amarrotado linho.
A conversão da pele rígida em suores. Águas como brinde.
Confundiam-se porcelanas e nossos dentes. Ao tilintar dos gemidos.


Karinne Santiago. 














Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!