quinta-feira, 17 de outubro de 2013

LUMIÈRE



Catrin Welz Stein


todos os silêncios
são asilos da ausência

os fatos se projetam
em câmera lenta

minha pele como tela 
(das cicatrizes) 
e a alma arranhada 
só repete 

seu nome 
seu nome 
seu nome 

mas a lágrima 
embasa o fim 

não há créditos 

Karinne Santiago





















2 comentários:

Vamos poeticar?!