segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Diário em Devaneio Noturno - Parte X


nina`s sweet

Baila a língua no céu da minha boca ensinando a conjugar o prazer. Gosto quando sabatinamos nossos corpos. Quando me toma a mão e refaz toda a pele. Ensina-me os pontos que por descuido não consegui perceber a solicitação de permanência. Obedeço disciplinada e atenta aos novos sinais conduzindo a ponta das unhas. Rosas traços vão me inventando em você. Inervando ousadias.  Entre curvas desconexas que apontam uma febre branda refaço a lista de vontades com a ardência comedida. Reinscrevo todas as versões de nossas fantasias. Deixando apenas que o arrepio nos corrompa as vergonhas. Disfarço. Finjo-me tola com um sorriso mínimo enquanto aproveitando de curtas expressões leio cada item. Colo, pelos, mamilos. Túrgidos desejos com o tempo. Novas pontuações e saliva se misturam. Desconheço nossas extensões. Nossos limites se corrompem com sofreguidão. Invasões predestinadas de órgãos opostos convergem em líquida sintonia. Organizo-me diante do desalinho que inventamos por tantas buscas. Sinto que em coreografado instinto nos reproduzimos pelo ar. Entre cheiros e embriaguez dos sexos. Diluímos e solvemos. Somos nós para tão pouco cada.  Desprevenida selvageria. Antropófagos de uma gula convidativa. Prendemo-nos entre dentes. Ventre devorado. Instalando em mim masculinidades. Refaz trajetos. Estica o dorso e alto decora-me. Uma cartilha redefine nossos nomes e liberta-nos de batismos antigos. Mastiga-me em versão desconhecida. Antes em insistente releitura divaga. Assíduo gourmet reaproveita gostos num gozo suplicante. Encerra-me como livro lido. As pontas dos dedos que me folheiam estralam ao sair do lábio como uma aventura saciada.

Karinne Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!