sexta-feira, 9 de agosto de 2013





Anna Adén









seríamos dois a chorar ao luar
as juras que já não entoamos

pena que não saiba sentir-me
e sua falta peça-me licença

não tenho cartas para tanto
do mesmo que algoz não és
recuso-me a sê-lo

seja somente ao que se permitires
antes de mim ou qualquer acolá

de todas as paixões e resquícios
as guarde como o tesouro mais bonito
e reserve-me o direito de não brindar


II

tenho tantas paixões que desconheces
acho desnecessário açoitá-lo

muitos amores, bem verdade
guardo-os todos

dos lábios que os beijaram
agora silencio os nomes

o afeto moldou-se conforme o tempo
e confesso, dura mais que os retratos...



Karinne Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!