sexta-feira, 1 de março de 2013

Invento Calendário



Chagall




Chamo de saudade a espera. E o inverso também me toma
Espanta-me sua exatidão. Tanto quanto, permanência.
Em registro comprovado. Ralha-me a certidão aos olhos
Reinventando-me risos e distrações. Inaugural sua.

Levo a mão ao peito. Como a poder tocar-lhe
Dando ancestralidade ao amor. Assim, eternidades
Repenso inconcluso. Aos tantos invoco meus quereres
E repito como clausura ao amar-te. Todos os sins!


Karinne Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!