domingo, 17 de fevereiro de 2013

rastro de cores



Arquivo Pessoal



desejo
na displicência das palavras 
dizer-me sem censura

imperar neste dicionário
vastos sinônimos de vida

deixar cair sílaba por sílaba
ecoando fugidias letras
na liberdade efêmera

confundir o rascunho
com a folha que paira
depois da tempestade


Karinne Santiago

2 comentários:

  1. não há um tesouro no fim do arco-íris, a riqueza está em saber caminhar até lá

    ResponderExcluir
  2. aprendendo a caminhar, Aldo...beijos coloridos.

    ResponderExcluir

Vamos poeticar?!