quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013


Google Imagens



a chuva traceja na janela
poemas que trouxe de longe

e cai pequenina assim
como para demorar a secar

é um pranto de letra
ou um canto de nuvem

me escorre de fora para dentro
lenta de saudade

Karinne Santiago

4 comentários:

  1. Dialogando:

    Trouxe de longe poemas
    que não deixaram dilemas
    e nem problemas sequer
    foram pensamentos dela
    chuva batendo à janela
    cogitações de mulher

    Dizem que a chuva tracejava
    e pequenas gotas deixava
    e demorava a secar
    caia pequenina assim
    regava as flores do jardim
    num constante gotejar

    Pareciam pranto de letra
    de saudade que penetra
    lentamente em profusão
    escorrendo de fora para dentro
    e numa nuvem me concentro
    p’r’acalmar meu coração

    Mas a chuva que caia
    quer de noite, quer de dia
    acabou por ter um fim
    transformou-se em arrebol
    e quando fez nascer o Sol
    foi uma bênção p’ra mim…

    JVC – FB - 2013-02-13

    ResponderExcluir
  2. obrigada, Joa!!! Bom tê-lo por aqui...

    Beijos e beijos!!!!

    ResponderExcluir

Vamos poeticar?!