sábado, 12 de janeiro de 2013

Deixe-me quebrar!!!




letargia
sentidos em falência

do abismo
forjar voo
rota singular

queda!

derradeira contagem
o corpo contra as pedras
repartem a pele durante atrito

sem reação
apenas tombo
abrem as feridas

carne viva!

a dor pulsa
sangue e areia
pedaços de mim

olhos abertos!

escorro vermelho
escorro lágrimas
escorro na paisagem

avanço!

gosto salgado e ferrugem
quanto tempo falta?!


Karinne Santiago


Foto: Anka Zhuravleva





























2 comentários:

  1. Só pássaros e poesias ganham asas em voo infinitos.
    Tua poesia flutua em palavras.

    beijos!!!!

    Adri

    ResponderExcluir
  2. Dri, que comentário lindo e num post tão especial...

    Obrigada pela visita...e recado entendido.

    Beijos, Amora!!!

    ResponderExcluir

Vamos poeticar?!