sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

oratório de estrelas





poemas embalam ausências
com olhos ressequidos
vigiam o vazio

enganam-se diante do nada
vultos em vigília descrente

até a lua se espanta
da porta retrocede
e se compadece

acende estrelas
como velas

caem as horas
como preces




Karinne Santiago


Foto: Anka  Zhuravleva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!