sábado, 15 de dezembro de 2012

nó de nós


não desatei o nó
mesmo ioiô, por vezes
o amor se mascara
refaz suas caras
em versões de sentir...

em nó cego 
marco do elo
junta duas pontas
e os destinos em laço
mostram-se em curvas

nó frouxo
só amassa a fita
liberta as pontas
em lados opostos
como duas setas
logo o metro se estica


Foto: Tatyana Druz

pedidos cochichados aos deuses



brilhos cadentes vistos do alto
os sonhos bordados nos astros
universo tête-à-tête em silêncio
e o poeta alcovitando o destino.

Karinne Santiago

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Previsão Imprecisa



o tempo irônico perguntou:

_ dói cisco no olho?!

  (pimenta do vento)

 Deus avistando ao longe
 ruídos de tempestade

dobro o pescoço
ao contrário do sopro
mãos invisíveis prendem
os pés na calçada

a sola ensaia o passo
o equilíbrio vacila
agarro-me pelo casaco
e todo o resto se esvai

a lágrima, o rímel
o riso
menos a sombra
soma-se
cobre o chão
e não flutua
apesar da biruta
e do catavento

Karinne Santiago

Foto: Boris Pavlik