sexta-feira, 16 de novembro de 2012











       

a língua com suas desculpas lascivas
desapropria a consciência e a lógica
emerge fortuita entre rimas e sinas
convincente impera instintos ou taras
para todos os seus desejos e sabores
vestes e rasgos de rendas e carnes


Karinne Santiago










tenho dito sobre o amor meias mentiras
pensando ser possível desvendar suas verdades
se não completo o que sinto e me permito apenas ser
reencontro em algum lugar certo ar de infinito

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

sob certo olhar...



montes alvos e rígidos afrontavam meu horizonte
a visão de elevadas planícies quase sôfregas 
de um desejo inicial emanava do colo ao afago
respostas em córregos de límpidos fluxos
conspiravam masculinidade diante da bela paisagem

percorrer aqueles contornos como desbravador
apropriando-me de terras vis vagando entre vales
afundando anseios como meus espasmos
diante da vontade de tomá-los e solvê-los
ávido por me confundir em jocoso gozo

a textura do relevo ia sendo desvendada
palmo a palmo e de suores a suores
encostava-lhe ereto e latejando todo corpo
vibrando em carne viva e em tantas pulsões
numa volúpia impregnada de ardores e repentes

um corpo de prazeres expostos desde início
sensível em todas as menções de contato
adentra e alastra em gotas despedidas de pudores
aos solavancos entre a altivez feminina
num reduto de maciez e arrepios

coroando-me em estocadas e entre sussurros
a geografia do refúgio era o abrigo
a casa entre as distâncias em poucas culpas
e por vezes julgava nossas bocas
outro recanto de atmosfera efêmera.

 Karinne Santiago


Foto : Jan Saundek

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Ao direito de calar...


desejo que a solidão me roube
todos os lilases tons que sonhei
durante os entardeceres versados
se compreenderes o que é dor
deixe-me, por favor, em silêncio

Karinne Santiago






BAILARINA INDIANA VERSA MANTRA SOBRE ANJOS

Para Adroaldo Bauer


minha solidão encostou-se à sua
achei engraçado nosso molde
diferentes versões sobre amar
aninhada entre vozes e novelas
debruço-me em seu peito

Karinne Santiago

segunda-feira, 12 de novembro de 2012


me revesti em mil mulheres
num álbum de esquecimento
após  tantas horas de ausência
que não soube voltar ao espelho

Karinne Santiago