sexta-feira, 12 de outubro de 2012

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

saudade de alívio






Havia uma saudade que se intensificava, principalmente, em minha boca. Como uma secura da mucosa que por horas anseia divergir do deserto. Não era uma saudade feliz. Daquelas que ao sentir podemos fechar os olhos e sorrir. Parecia mais, uma saudade de alívio. Estranho pensar assim. Pois muitas vezes, a saudade é compreendida de outras maneiras, menos como alívio. Talvez, seja simplesmente pelo motivo que ao tentar pesar todos os fatos ocorridos a balança por incrível que pareça não se mexia. Não tinha para onde pender. Ficava apenas aquela coisa grudando nos caninos. Repuxando a bochecha. Fazendo mil bocas e a vontade absurda por um drops.

Karinne Santiago

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Gosto de ser seu alvo



O arrepio é o exato efeito da sua aproximação. Mirando-me como alvo. Ser seu alvo é minha condição. Gosto de não precisar ser nada, além do seu alvo. Estática. Doce alvo. Entretanto, o quase é a nossa brincadeira preferida. Reconhecendo que a fase mais sedutora do desejo é a sua máscara de impossibilidade. Tão próximos em um quase beijo. Tão próximos em um quase afago. Sinto seu paladar delicadamente tentar provar os meus sabores. Seu olfato procurar meus aromas. Seu tato assombra o toque. E minha respiração se torna espessa na ameaça do sim. Tão próximos. Nus em nossas intenções. Óbvios. Uma partida sem fim e tendo o instinto como juiz.

Karinne Santiago

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

notas leves para um diário minimalista

para Karinne Santiago





Esta sede que me invocas
Debruçada sobre o mar
Atiça ondas e não és maga

Assis Freitas


Foto: Lili Roze