segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Canto dos Sonhos





Diz distante ser brando o canto das ninfas
Em bocas delicadas de contornos perfeitos
Com vozes adocicadas e macias rebuscam o leito
E preenchem as pupilas com serenas melodias
Mesmo quando o desejo faz do ardoroso poeta
Adormecido em tempos de amar
Esquece-se onírico da musa em noite escura
Que o aguarda receosa em dúvida
Do discurso inacabado de escuta rara
Ao convite desfeito ao pranto menino
A lua se colore fria de cinza tom escuro
A cada estrela projeta uma lágrima desta agonia
Até que adormece triste e sozinha

Karinne Santiago