quinta-feira, 15 de novembro de 2012

sob certo olhar...



montes alvos e rígidos afrontavam meu horizonte
a visão de elevadas planícies quase sôfregas 
de um desejo inicial emanava do colo ao afago
respostas em córregos de límpidos fluxos
conspiravam masculinidade diante da bela paisagem

percorrer aqueles contornos como desbravador
apropriando-me de terras vis vagando entre vales
afundando anseios como meus espasmos
diante da vontade de tomá-los e solvê-los
ávido por me confundir em jocoso gozo

a textura do relevo ia sendo desvendada
palmo a palmo e de suores a suores
encostava-lhe ereto e latejando todo corpo
vibrando em carne viva e em tantas pulsões
numa volúpia impregnada de ardores e repentes

um corpo de prazeres expostos desde início
sensível em todas as menções de contato
adentra e alastra em gotas despedidas de pudores
aos solavancos entre a altivez feminina
num reduto de maciez e arrepios

coroando-me em estocadas e entre sussurros
a geografia do refúgio era o abrigo
a casa entre as distâncias em poucas culpas
e por vezes julgava nossas bocas
outro recanto de atmosfera efêmera.

 Karinne Santiago


Foto : Jan Saundek

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!