quarta-feira, 31 de outubro de 2012

DIÁRIO EM DEVANEIO NOTURNO (parte IV)


A pele envolta da boca já havia assumindo certa vermelhidão de anseio, os risos tomado os ares em libidinoso coro, os cabelos desfeitos em suores. Quando com um olhar atrevido, porém brejeiro, num hálito de anis em sentido provocativo, próximo ao ouvindo, o suficiente para escutar e sentir sua malícia, fala pausadamente, da fêmea despertada no colo. Dos desejos comovidos de inveja ao perceber o assombro do tecido quando contra a sua fibra, rompe suas tramas em rasgos proporcionais, como se milimetricamente pudesse deferir golpes com maestria contra um suposto tear. Inebriada continua como açoite aos instintos a querer reproduzir em deleite desgovernado pedido. Medindo a curvatura do dorso em gradativo contorcionismo felino até repousar segura sua tez. Volta o olhar ao canto do olho, num perfil doce, porém desafiador, deixando em dúvida quem seria o real anfitrião. Alonga-se e abandona-se de costas ao desejo.


Karinne Santiago



foto: Joe Deurr

2 comentários:

Vamos poeticar?!