quarta-feira, 31 de outubro de 2012











brotam contas alvas
de tão límpidas, nuas (...)
translúcido olhar e morno
orvalho de pálpebras
a hora vira encanto
num reflexo do cílio
trêmulos como os lábios
que balbuciam soltos
desconexo sentimento
contorço o punho
e arrasto o abandono
queixo a baixo
leve seria além do amargo

Karinne Santiago














Foto: Lili Roze

2 comentários:

Vamos poeticar?!