quinta-feira, 25 de outubro de 2012


calo num ríspido assalto do lábio
idioma que desconsidero em verso
em desgastante teimosia de forjar
certa alegria a tez desnuda

ai, essa pele opaca
de fortuitos amantes
delonga em espera
a derradeira busca

 insensatez que me recobre
amarga lágrima no lençol
prolonga as horas da perda
cicatriz tecida na seda

(num quase rasgo)


Karinne Santiago


Foto: Lili Roze


2 comentários:

Vamos poeticar?!