quarta-feira, 26 de setembro de 2012






Uma revoada de borboletas entre o peito e o início da garganta. Parecendo que o mundo me engole de dentro para fora. A cada passo dado, as borboletas se agitam batendo as asas umas nas outras. Numa confusão de cores e profusão de sentimentos. Meu estado de espírito ou de consciência, sei lá... não consegue acompanhar com delicadeza todos os voos. Por hora, acha graça. Outra, se sente sufocado. Porém, toda esta inquietação tem um sabor de travessura, não minto, de sonho se realizando... Ahh, e não preciso falar do sorriso...nem a Monalisa, baby...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!