domingo, 30 de setembro de 2012

DIÁRIO EM DEVANEIO NOTURNO (parte II)





Nas manhãs que se apresentam preguiçosas. Antes que o sol se antecipe nas cortinas, enrosco meu pálido corpo no travesseiro. Sinto lentamente suas lembranças me roubarem a alvura. Minha pele denuncia o desejo através do tom rosa e calores. Certa inquietação íntima parece testar a resistência das madrepérolas que acobertam meus mamilos. Afundo meu rosto contra o objeto macio e imagino que ao invés da bainha da fronha que me roça o rosto seja enfim, o seu colarinho em volta do objeto que inauguro com sofreguidão. Entre aromas e pelos que se emancipam desalinhados e ralos carimbo saudade e malícia com meus lábios.



Imagem: Lili Roze

4 comentários:

  1. Tão, mas tão linda a tua escrita! Tão delicada! Madrepérolas que acobertam os mamilos...que imagem doce, sensual, linda!

    Eu amei estar aqui. Quero ler tudo!

    Beijo, Karinne! Bom demais ter te encontrado :)

    ResponderExcluir
  2. Ohhh, Daniela... fico feliz por seu comentário.

    Por favor, venha sempre.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Belo! Doce! Sensual!... meus lábios anseiam por teus mamilos....


    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir

Vamos poeticar?!