domingo, 9 de setembro de 2012


desnudo o canto
aurora de vozes
repercutem ao norte
o coro da brisa

ecos de bem-te-vis
algazarram saias
arrepio do sopro
doce ventania

sussurram sinos
tempestade anuncia
cataventos rodopiam
na soleira o timbre

dão-se em notas
pingos de chuva
bate na telha
em aroma assume
a saudade do dia

gotas escorrem
verte orvalho
no clarão do céu
nuvens em cócegas
iris de vida

Karinne Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!