domingo, 15 de julho de 2012

Pensando sobre despedidas (ouvindo Julieta Venegas)


Civilizadamente mudos

É o resumo da intimidada na despedida

A educação em nada dizer só é menos violenta que encarar a ausência

A cama desfeita só de um lado e todo o resto desconfortável

E o tempo fica lento numa dança sem par

Descobrir-se singular num coletivo de lágrimas

A solidão nos aponta o que restou com dor

O coração ainda quente é orgulho. Como todo corte, de início, arde, mas irá doer depois.

Karinne Santiago



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!