quarta-feira, 20 de junho de 2012

Amor entre Versos





Quando me prendes neste olhar poeta
Sinto-me, de repente, sua musa, na certa
É neste instante, que ignoro todo o resto
Quantos outros poemas desejei como meus
Em noites longas refiz seus sorrisos
Pondo-me alvo do seu desejo inquieto

Reconheço o amor confundido entre rimas
E finjo ignorar o coração andarilho
Não contenho a saudade e permaneço
Estática esperando que voltes e retenha-me
Em suas lendas distantes e que nem suponho
Observando com fascínio numa declarada paixão

Porém quando em soluços reserva-me novo adeus
Volto errante a solidão companheira conhecida
Fito o céu e não me detenho num sonho vago de lua
Almejo todas as estrelas como colar de contas
Quem sabe assim retorne ao meu colo
Quando delas precisar dizer-me do amor
Que da poesia, sim, enamora-se.

Karinne Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!