domingo, 1 de abril de 2012

Sonho de Passarinho





Desfaço-me céu límpido
Como gaivota solta
Em voo rasante corto
O vasto anil e suas ondas

Decolada liberdade mirante
Encho o peito e canto
Berro ao sul projeção
Persigo minha sombra

Imensidão me invade
Velocidade contra o vento
Agora sou clara tempestade
Arqueio o corpo em movimento

Invento minhas bússolas e cruzeiros
Sou do mundo, deste ar...
Sobretudo destas águas
Num quase beirando o mar

Respingo salgado na pena
Pedaço da asa sonha peixe
Desprende-se e mergulha oceano
Perde-se de vista, marinheiro

Encorajo-me a sonhar
Vai ao branco ser espuma
Abraça e mistura-se
Baila ao naufragar...

Karinne Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos poeticar?!