sábado, 3 de março de 2012

Trança





Tramo castanhas metades entre meus dedos
Três caminhos dispostos como destino
Pequeno amarelo reluz o sol retido nos fios
Brilhantes curvas de frouxos nós insinuantes
Displicentes caem na tez de pele alva em poesia
Bailam gingados de brisa ao gosto da rima
Filetes que roubam ao canto da boca
Certos aromas e o carmim desenhado
Detalhes contornos além da saliva
Quase umedecidos levados a dedo
Ao canto como frágil adorno
Completa moldura da face menina
No dorso solto assemelha-se longa fita
Orquestra olhares e suaves arrepios

Karinne Santiago

Carinho de amigo
Doce compartilhamento



 A trança dos teus cabelos

É toda feita em novelos
Que apetece desmanchar
E se foi feita com teus dedos
Eu penso nos teus segredos
Que queria desvendar

Ela é feita em três caminhos
Sempre com muitos carinhos
Pois teu cabelo é castanho
E se com a luz do Sol reluz
Eu tantos beijos lhe pus
Já que ao vê-los, me não contenho

As curvas em que o apanhas
Têm belezas tamanhas
E são tão insinuantes
Todas elas poesia
Douram tua pela macia
Tornando-se mais brilhantes

E quando a brisa os provoca
Gingam numa forma louca
Provocando a emoção
E roubam à tua boca
Aromas, carmim que toca
Cá dentro no coração

E essa emoção é tão viva
Que os contornos de saliva
Só me despertam desejos
E a moldura feminina
Com teus traços de menina
Parece pedir mais beijos

E ao ver essa trança linda
Caída com graça infinda
Sobre as curvas do teu dorso
Sinto arrepios em mim
Suaves de um jeito assim
Que te dou beijos sem esforço….

Joaquim Vale Cruz
2012-03-04