terça-feira, 20 de março de 2012

Noturna






Em tempo de ausência
Nas horas de lua
Anoiteciam estrelas
Reflexos vãos da morte
Entre a solidão dos sonhos
E o vazio encontro
De melodias mudas
Encruzilhada de lembranças
Incontidas de saudades
Distâncias inacabadas
Versavam ilusões
Nos perdíamos
Como quem aos poucos
Deixa escorrer 
A areia da ampulheta

Karinne Santiago