domingo, 26 de fevereiro de 2012

DOR




Adormece pranto
Deixe que hoje seja feliz
Estes olhos de solidão
Abandona-me
Dor
Que dilacera como navalha
Retalha a lembrança consternada
Pavor
Da tristeza que me sobe a face
Em disparate
O adeus
Fez do corpo
Túmulo resguardado
Do amor que lhe dei

Karinne Santiago