domingo, 18 de setembro de 2011






O poeta nunca lhe ofertará respostas lógicas. Ele nem sabe o que fazer com a lógica. É como um ser à parte que o interroga na busca de um métrica que o sentimento contesta.


Karinne Santiago