sábado, 21 de agosto de 2010

Megalomania



Tenho um saco de risada com nó frouxo

Não tenho chapéu para carregar minhas idéias

Tenho travesseiros que acariciam lábios

Não tenho óculos escuros para o coração

Tenho caledoscópio como céu

Não tenho pernas para os seus relógios

Tenho núvens ao invés de pés

Não tenho bússulas para os sentimentos

Tenho compasso e traço as palmas das suas mãos

Não cortei o cordão das estrelas cadentes

Tenho o mundo como botão

Não tenho a ausência elegante dos sapatos

Tenho em mim tudo trocado em miúdos

Não tenho colírios contra hipocrisia

Tenho ninfas que acrescentam sonhos

Não tenho a fonte dos seus ânseios

Tenho traço fino para mentiras

Não tenho dicionário de sopa de letrinhas

Tenho uma cartela cheia de poesia

Não tenho pauta para a solidão



Karinne Santiago